• Romero Filho Advocacia

É irrelevante o prazo de carência do plano de saúde nos casos de urgência e emergência.


Nos atendimentos de urgência e emergência é irrelevante o prazo de carência estabelecido pelo plano de saúde, devendo ser obrigatória a cobertura do segurado.


Informamos que o artigo 35-C, incisos I e II, da Lei 9.656/98, determina a obrigatoriedade da cobertura nos casos de emergência e urgência, independente do prazo de carência estabelecido pelo plano de saúde:


Art. 35-C. É obrigatória a cobertura do atendimento nos casos:


I - de emergência, como tal definidos os que implicarem risco imediato de vida ou de lesões irreparáveis para o paciente, caracterizado em declaração do médico assistente;


II - de urgência, assim entendidos os resultantes de acidentes pessoais ou de complicações no processo gestacional;


No mesmo sentido, a súmula 597 do Superior Tribunal de Justiça já consolidou o mesmo entendimento, afirmando que a cláusula contratual de plano de saúde que prevê carência para utilização dos serviços de assistência médica nas situações de emergência ou de urgência é considerada abusiva se ultrapassado o prazo máximo de 24 horas, contado da data da contratação.


Portanto, o plano de saúde tem a obrigação de atender o segurado, independente do prazo de carência, nos casos de urgência e emergência determinados pela Lei nº 9.656/98 e devidamente comprovados através de documentos médicos.


Caso o plano de saúde se negue a prestar o serviço que está obrigado, o segurado poderá pleitear no Poder Judiciário o cumprimento da obrigação cumulado com indenização, pois houve a falha na prestação de serviço e a responsabilidade da empresa é objetiva.


Se você gostou desse conteúdo, compartilhe com seus amigos e familiares para que mais pessoas saibam do seu direito.


Criado pelo escritório Romero Filho Advocacia.


Siga nossas páginas no Facebook e no Instagram - @rfilhoadv